Taho Tavoc

Andarilho dos Espiritos

Description:

Taho Tavoc, entre dois mundos

Um andarilho dos espíritos, ou em sua língua materna um Ka’akeha, é como aqueles iguais a Taho eram chamados, sensitivos, dotados se um elo forte com a natureza e caminhavam em uma linha tênue entre a realidade da nova Mazda e a realidade dos povos originais. Uma tribo pacifica, pouco populosa e bastante silenciosa, os Andarilhos dos Espíritos, pertencentes a uma raça antiga, quase extinta, os Goliaths, moldados da carne de homens e gigantes, duros como a rocha, revoltos como a tempestade porém sensíveis como a mais jovem pétala tocada pelo orvalho.
Em seu nascimento, assim como todos de sua pequena tribo (que não englobava mais de 50 Goliaths) um destino foi lançado para Taho, uma casta, tecida pelos espíritos e denotada por Koen, o shaman da tribo, aquele que não só sentia mas interagia com os espíritos, aquele que podia manipular as plantas e os elementos, o líder espiritual. Taho receberia treinamento e teria a oportunidade de se tornar um Sau’sei, explorador.
Taho cresceu ouvindo de Koen historias sobre Altamira, a terra das águas, lar original dos Ka’akeha, Koen nunca explicou exatamente porque a tribo deixou seu lar ou o porque dele não lembrar o caminho para retornar, porém Taho sempre suspeitou que algum tipo de doença estivesse lhe tomando as memorias e com o passar dos anos isso se confirmou.
Eventualmente Koen tomou uma aprendiz, uma moça alguns anos mais jovem que Taho, Zôka era seu nome, ela também havia passado pela cerimonia de seleção de uma casta, sua casta porém não foi a mesma de Taho, ela foi selecionada como uma possível Shaman, aprenderia sobre os caminhos dos espíritos, sobre medicina e se tivesse aptidão, sobre magia.
Com o passar dos anos Zôka lentamente passou a assumir as funções de Koen, o velho ja não tinha condições físicas e mentais de preencher suas tarefas, com vinte e dois anos a provação máxima de todos aqueles que pretendiam ser um Sau’sei finalmente chegou para Taho. A cada cinco anos, um festival era realizado na tribo e neste festival uma provação de combate era proposta a todos os Sau’sei em treinamento. Durante as festividades Koen adoeceu muito, Taho em uma ultima promessa jurou a Koen que iria se tornar um Sau’sei e iria liderar a tribo até Altamira, que sua tribo voltaria a ser prospera e as dificuldades se acabariam, a promessa foi cumprida, pelo menos uma parte dela. Com sobras Taho venceu as disputas do festival, há quem diga que a motivação, força e resistencia que o meio-gigante apresentou nas competições foram presentes do próprio minotauro e que de fato ele deveria ser o Sau’sei naquele ano.

A missão de Tahaho era bastante clara, assim como de todos os Ka’akeha, desvincular-se de tudo e todos, vagar pela imensidão de Mazda e viver em comunhão com os grandes espíritos Medusa, Minotauro, Dragão, Sombra e voltar somente com o paradeiro de Altamira.

Crescido, treinado e doutrinado nas vias dos Andarilhos dos espíritos Taho aprendeu as vias de sobrevivência de seus iguais, aprendeu a observar a terra, o horizonte, os animais, os movimentos, as plantas, aprendeu a sentir a energia de tudo e todos os seu redor.
Em suas viagens por Mazda, Taho passou a interagir com os Wakae conheceu seu primeiro “espirito”, Jackson, se intitulava “Ace” porém para Tahaho nunca foi mais do um Nakahi, a cobra, a personificação dos ideais da Manticora, Nakahi acabou tornando-se companheiro de Tahaho e com o passar dos meses a confiança entre os dois ja era grande.
“Ace” era um golpista e de fato isso não incomodava Tahaho, que por sua vez acreditava que essa era a sua natureza e a natureza de um espirito nunca deveria ser modificada, por pior que pudesse ser. Nakahi foi seu elo de ligação com os Wakae, ou “invasores” em sua língua e isso foi positivo para engrandecer o entendimento de Tahaho sobre este novo mundo que o englobava.
Vamos ficar ricos, meu caro Taho… Não precisaremos mais comer pão dormido e água para cavalos. Isso eu prometo a você. – Disse Nakahi em um determinado momento.

Porém Tahaho não tinha pretenções de riquesa, ele nao era uma Medusa, ele era um Minotauro.

Ka’akeha – Andarilho dos Espíritos
Sau’sei – Exporador
Nakahi – Homem cobra
Wakae – Os invasores

Bio:

Taho Tavoc

Mazda: Terra sem Lei carlomazo